quinta-feira, 14 de abril de 2011

Ex-Governadores sancristovenses

Por Thiago Fragata

O final de março, terça (29/3), foi de inaugurações em São Cristóvão. O governador Marcelo Deda descerrou placas de obras importantíssimas para o bem da população da cidade histórica: duplicação da Rodovia João Bebe-Água e Rodovia Zezinho da Everest, que liga povoado Rita Cacete ao Apicum Mérem. Na solenidade, o Professor Wanderlê Correia, ex-deputado e irmão do homenageado, lembrou no seu discurso que junto aos políticos sancristovenses falecidos, Siqueira de Meneses e Pereira Lobo, ex-governadores, Zezinho da Everest estaria festejando. A informação dos ex-governadores sancristovenses surpreendeu a todos. Aproveito o ensejo para detalhar a verdade.

Siqueira de Meneses (1852/1931)

José de Siqueira Meneses nasceu em São Cristóvão no dia 7/12/1852, filho de Manoel Tavares de Meneses Andrade e Ana Maria de Siqueira. Seguiu carreira militar, formou-se engenheiro na Politécnica do Rio de Janeiro. Foi um dos jovens republicanos que lutaram para implantação do novo regime em seu Estado. Tomou parte do triunvirato que governou Sergipe em 1889. Participou de forma heróica e decisiva da Guerra de Canudos (1896-1897), na Bahia, como atesta Euclides da Cunha nas páginas de “Os Sertões” (1902).

Membro do Partido Conservador, Siqueira de Meneses usufruiu da fama de herói para fazer positivar suas pretensões políticas. Conseguiu se eleger Governador de Sergipe em 1911, afastando-se em 1914. Exerceu mandato de Senador (1915 a 1923). O distinto militar faleceu em 6/2/1931.

Pereira Lobo (1864/1933)

José Joaquim Pereira Lobo nasceu em São Cristóvão no dia 23/12/1864, filho do Capitão Joaquim José Pereira Lobo e Joanna Rosa Pereira Lobo. Tem uma biografia que lembra Siqueira de Meneses. Formou-se na Escola Militar do Rio de Janeiro, mas se elegeu Deputado Estadual (1896/1897), e na condição de presidente da Casa assumiu por 5 meses o Executivo Estadual (11/10/1897 a 20/3/1898).

Foi Senador de 1914 a 1918 e se elegeu Governador de Sergipe para gestão 1918/1922. Em 1923 retornou a condição de Senador e permaneceu até 1930. Pereira Lobo morreu no Rio de Janeiro, Capital Federal a época, no dia 24 de fevereiro de 1933.

Assim posto, a quarta cidade mais antiga do Brasil, ex-capital de Sergipe, não pode mais ignorar seus ilustres ex-governadores Siqueira de Meneses e Pereira Lobo.

FONTE DE PESQUISA:

BARRETO, Luiz Antônio. Dicionário de Nomes e Denominações de Aracaju. Aracaju: ITBEC/BANESE, 2002, p. 87.

GUARANÁ, Armindo. Dicionário Bio-bibliographico de Sergipe. Aracaju: Governo de Sergipe, 1925, p. 169-170, 185-186.

Saber mais sobre José Siqueira de Meneses:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Jos%C3%A9_de_Siqueira_Meneses,

Único lugar onde o nome dele aparece como Antônio José de Siqueira Meneses

Saber mais sobre Joaquim Pereira Lobo:

http://www.senado.gov.br/senadores/senadores_biografia.asp?codparl=1942&li=29&lcab=1912-1915&lf=29


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.