sexta-feira, 17 de abril de 2015

O QUE VERONICA BOLINA DIZ SOBRE O BRASIL





Por Tiago de Melo Gomes*


"Retrato de um país hipócrita". Ouvi isso sobre o episódio Veronica Bolina. Travesti negra agredida barbaramente por policiais sob a custódia do Estado após ser presa pelo trivialíssimo motivo de brigar com a vizinha. Todo santo dia vizinhos brigam. O simples fato de ela ter sido detida por isso já é absurdo. O que veio depois, então, é devastador. Inclui agressões e mutilação. Da parte de agentes do Estado. Dinheiro dos nossos impostos pagam para que pessoas façam com que a pessoa da esquerda seja violentada a ponto de se transformar na pessoa da direita.

Isso tudo me deixa a seguinte questão: o que fez essas pessoas se sentirem autorizadas a fazerem isso? Pra mim essa é a questão. Por pior que sejam esses humanos, eles jamais fariam isso se não achassem que poderiam. Exemplificando: todos nós conhecemos pessoas que adorariam torturar, agredir e matar quem pensa diferente delas. Mas como sabem que não podem, se aguentam. As pessoas que fizeram o que fizeram com Veronica de alguma forma se sentiram autorizadas. Em algum nível acreditaram que vivem em uma sociedade que aceita coisas assim.

Aí você olha para o congresso nacional. Pensa que lixos humanos tipo Bolsonaros e Felicianos tiveram recordes de votos pregando a opressão aos oprimidos como forma de defender a sociedade do mal. Aí você começa a pensar que o problema nem são essas pessoas, mas os eleitores delas. E se lembra que todo santo dia escuta discurso escroto, filho da puta, racista, homofóbico. Não há um mísero dia que você não escute piadinha sobre o "viadinho" que a pessoa e você conhecem. Não há mísero dia em que por algum grupo do whatsapp você não receba uma "maravilhosa" piada sobre algum grupo subalterno. E se você se sentir ofendido o desgraçado que mandou ainda banca o perseguido: "nossa, desculpa se te ofendi", fazendo parecer que você é que é sensível.

Quantas pessoas você conhece que dizem "não voto no Bolsonaro mas admiro sua coragem"? Ou "tem coisas dele que não concordo, mas ele fala umas coisas importantes"? Isso é muito sério. Pois esses lixos defendem que tá pouca opressão aos subalternos. Tem mesmo é de aumentar. Estamos matando poucos gays, estamos discriminando pouco os negros, há poucos maridos matando suas esposas, foi pouca gente morta e torturada no regime militar. Tem de aumentar. Tudo em nome da família e dos bons costumes, claro.

Também tem a versão pretensamente religiosa da coisa. Os filhos da puta lêem Jesus Cristo falando de amor e compreensão e saem por aí odiando todo mundo que não concorda com eles. Pegam partes descontextualizadas de textos escritos há milhares de anos e usam isso para disseminar o ódio. Fazem isso considerando que estão defendendo o mundo cristão. Duvido muito que os felicianos da vida acreditem nisso. Pra mim são apenas picaretas mesmo. Mas não falta gente ignorante para espalhar o ódio em nome de Jesus. O que por si só é um contra senso gigante.

Tudo isso nós vemos todo santo dia. Esse é o mundo em que vivemos. Logo, nada mais natural que um bando de policiais tenha achado super de boas prender um travesti negro por conta de uma briga com uma vizinha. Acharam normal torturar, mutilar e desfigurar essa pessoa. Lógico que eles acharam que a sociedade à sua volta permitiria que isso acontecesse. Essa é a pior parte: eles tinham toda a razão em achar isso. Esse é o país em que vivemos. Um país machista, racista, homofóbico, que cultiva com gosto esses preconceitos e vota em quem os defende. O problema não é a polícia. O problema é seu. Você, que de alguma forma compactua com as posturas descritas, é tão culpado pelo que aconteceu quanto os que torturaram Veronica.

*Professor universitário da UFR/PE. Email: melogtiago@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.