terça-feira, 1 de julho de 2008

SÃO CRISTÓVÃO JÁ É PATRIMÔNIO NACIONAL, QUEREMOS SÃO CRISTÓVÃO PATRIMÔNIO MUNDIAL!


A candidatura da Praça São Francisco de São Cristóvão a Patrimônio da Humanidade será divulgada na reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO, em Quebec, no Canadá, que começará amanhã 2 estendendo-se até o dia 10 do mês corrente.

O chefe da delegação brasileira, presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luiz Fernando de Almeida, que tem acento e voto na Comitê do Patrimônio Mundia participará da reunião. Além de avaliar os pedidos de inscrição na lista do Patrimônio Mundial, o referido comitê discute estratégias para a proteção dos sítios reconhecidos e busca minimizar o impacto da mudança climática nas regiões protegidas. O Brasil possui, hoje, 17 sítios registrados na Lista de Patrimônio Mundial da Humanidade, entre eles a cidade de Brasília e o Centro Histórico de Ouro Preto.

São Cristóvão foi fundada primeira capital de Sergipe em 1590. A quarta cidade mais antiga do país, é testemunho do processo de ocupação da região e exemplo de implantação de vila fundada sob o reinado de Filipe II, época em que Portugal esteve por 60 anos sob o domínio da Espanha. Em 1657, os franciscanos chegaram à cidade e proporcionaram a São Cristóvão o mais expressivo conjunto arquitetônico remanescente da cidade - a Praça São Francisco. Os limites da praça são definidos pela Igreja, Convento de São Francisco e a Capela da Ordem Terceira (hoje Museu de Arte Sacra), que datam de 1693, e pela Santa Casa e Igreja de Misericórdia, o Palácio Provincial e o casario antigo. Edificada no período em que o Brasil esteve sob duas coroas, a praça guarda características que a tornam singular, única no processo de conquista e formação do território brasileiro.

Até hoje, a praça ilustra a vitalidade de um espaço público aberto, íntegro em sua configuração urbana no decorrer de quatro séculos, adaptado aos usos cotidianos e esporádicos. Consolidou-se como marco de referência urbana e como espaço de representação dos poderes religioso e civil. É também um local de encontro, comemorações, representações folclóricas, festas de religiosidade coletiva e das manifestações lúdicas e musicais.

Todos os parceiros e membros da Comissão Pró-Candidatura da Praça São Francisco a Patrimônio da Humanidade, coordenada por Thiago Fragata, aguarda com ansiedade o resultado final do pleito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.