quinta-feira, 10 de julho de 2008

UNESCO PEDE O ADIAMENTO DO RECONHECIMENTO DA PRAÇA DE SÃO CRISTÓVÃO COMO PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

A reunião do Comitê do Patrimônio da Humanidade em Quebec, Canadá, ocorrida entre os dias 2 e 10 do corrente mês aprovou a indicação de 8 novos bens culturais para inclusão na lista do Patrimônio da Humanidade. Esses bens podem ser visitados na Malásia, Nova Guiné, Croácia, França, Alemanha, Itália, San Marino e Eslováquia. Infelizmente, a Praça São Francisco de São Cristóvão, em Sergipe, assim como os candidatos da Bolívia, Cuba, México e Nicarágua não cumpriram pré-requisitos necessários ao reconhecimento.

A depender dos requisitos ou providências a serem efetivadas em São Cristóvão conforme o Relatório da Visita Técnica realizada pelo ICOMOS, órgão que assessora a UNESCO, o reconhecimento da praça São Francisco será automático, é o que informa Luis Fernando de Almeida, Presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), representante do Brasil com direito a voto no Comitê do Patrimônio Mundial.

O Relatório do ICOMOS discutido na reunião do Canadá pede as seguintes providências ao Governo do Estado parte da UNESCO, Brasil:

a) que seja realizado um projeto de saneamento, em parceria com o governo de Sergipe, para que o Rio Paramopama não continue a receber os esgotos e o lixo produzido pela população da cidade alta (centro histórico) e da cidade baixa. Para o Comitê do Patrimônio Mundial é inadmissível o reconhecimento de Patrimônio da Humanidade numa cidade que o meio ambiente sofre uma agressão tão nociva à preservação da vida.

b) Também, que seja elaborado um outro dossiê de inscrição, apresentando o centro histórico como candidato - e não uma praça -, visto que todo o centro histórico tem potencialidade para o reconhecimento.

c) Ao Município de São Cristóvão o Relatório do ICOMOS pede a imediata efetivação do Plano Diretor. Os representantes da Technum Consultoria, empresa contratada pela Prefeitura de São Cristóvão para elaboração do projeto, apresentaram na última reunião (12/06) a minuta da Lei do Plano Diretor de São Cristóvão que deve ser encaminhado a Câmara Municipal em breve.

Algumas iniciativas por parte do Governo do Estado visando à valorização do patrimônio cultural da quarta cidade mais antiga do Brasil devem ser lembradas, a exemplo do projeto para duplicação da rodovia João Bebe-Água e da fiação subterrânea da Praça São Francisco, em andamento. Elas integram o rol de providências solicitadas por Marco Antônio Faria Galvão, coordenador executivo da proposição de São Cristóvão, para o desenvolvimento do turismo.

Para Thiago Fragata, coordenador da Comissão Pró-candidatura da Praça São Francisco de São Cristóvão a Patrimônio da Humanidade: “o resultado da reunião do Canadá é paradoxalmente animador. Eles concordam que temos em Sergipe uma cidade que reúne potencialidade para o reconhecimento internacional, mas cobra providências das autoridades do Governo em suas respectivas instâncias (Federal, Estadual e Municipal); providências que irão alavancar o turismo, preservar o meio ambiente, enfim, melhorar a qualidade de vida. Objetivamente, o Comitê do Patrimônio Mundial decidiu no Canadá que a chancela para Sergipe está condicionada a vontade política”.

Um comentário:

  1. Tiago,

    Seu blog é muito completo e está sempre atualizado,parabéns pela dedicação e perfeição, tornando-se referência de pesquisa sobre São Cristóvão.
    Tenho ouvido muitos comentários pertinentemente positivos a respeito dele, e pasme, os dois últimos vieram da França(Martine do CBI) e de Portugal.
    Felicidades.
    Ana Molina

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário sobre essa matéria.