quinta-feira, 27 de agosto de 2009

TRÂNSITO DE MOTO NA PRAÇA SÃO FRANCISCO SERÁ REPROVADO


No próximo domingo (30/08), acontecerá o 1º Passeio Motociclístico de São Cristóvão. A saída será na praça de eventos do Eduardo Gomes, às 10 horas, com destino ao balneário da Bica dos Pintos, passando pelo centro histórico.

Como um dos graves problemas da praça São Francisco, hoje candidata ao título de Patrimônio da Humanidade, é o desrespeito de alguns motociclistas para com o espaço de uso exclusivo de deficientes físicos, os participantes do evento farão ato público de reprovação aos infratores.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

FOLCLORE QUER A PRAÇA PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

Grupos folclóricos prometem engajamento na campanha pelo título de Patrimônio da Humanidade

Próxima sexta, 28 de agosto, o folclore vai declarar seu apoio a candidatura da Praça São Francisco a Patrimônio da Humanidade. Brincantes da Caceteira, São Gonçalo, Samba de Coco, Reisado, Langa e Taieiras irão liderar a Caminhada Folclórica Patrimônio da Humanidade, pelas ruas do centro histórico.

Todos os grupos folclóricos de São Cristóvão se apresentarão simultaneamente na praça que disputa o titulo a ser votado na reunião da UNESCO, em junho de 2010, em Brasília.

O evento é uma boa oportunidade das escolas mobilizarem estudantes e professores para participar e apreender a força da cultura popular sancristovense.

O ato público começará às 15 horas e tem a organização do Governo de Sergipe, através da Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural, e Secretaria de Estado da Educação, através da DR-8, em parceria com a Prefeitura Municipal de São Cristóvão, ong Sociedade para o Avanço Humano e Desenvolvimento Ecosófico (SAHUDE), Comitê Pró-candidatura da Praça São Francisco Patrimônio da Humanidade e comunidade religiosa.


SAIBA O QUE DISSE A IMPRENSA

http://www.jornaldacidade.net/2008/noticia.php?id=40847

http://www.agencia.se.gov.br/noticias/leitura/materia:15311/estado_estimula_adesao_popular_a_candidatura_de_praca_a_patrimonio_da_humanidade.html


sábado, 22 de agosto de 2009

Professores tiveram aula de folclore!

Jorge do Estandarte apresenta os passos do Reisado aos professores

Entre os dias 20 e 22 de agosto, os professores do município de São Cristóvão participaram da oficina pedagógica “Folclore: saber, cantar e dançar”. A Secretária Municipal de Educação, Secretaria de Cultura e Comissão Pró-candidatura da Praça São Francisco a Patrimônio da Humanidade somaram esforços e exitosamente efetivaram o extenso programa. As aulas teóricas foram ministradas por Thiago Fragata, historiador, e Maria Gloria Santos, pedagoga e coordenadora da Casa do Folclore Zeca de Noberto. O corte das roupas e os passos do folclore (dança), aulas práticas, foram ministradas por Neide Quitéria e Jorge do Estandarte, respectivamente.

Confira imagens dos melhores momentos da oficina e
sintese da palestra "Folclore: o que todo professor(a) deve saber".

Mestre Jorge do Estandarte explica a funcionalidade do reisado

Neide Quitéria ensina professores a fazer indumentária do reisado

Professora aprende a fazer vestido do reisado mirim


**************************

FOLCLORE:O QUE TODO PROFESSOR(A) DEVE SABER

Thiago Fragata*
Maria Gloria Santos**

QUE É FOLCLORE?

É um gênero de cultura de origem popular, constituído pelos costumes e tradições transmitidos de geração a geração.

Todos os povos possuem tradições, crendices e superstições, transmitidas através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades que nasceram e se desenvolvem com o próprio povo.


CARACTERISTICAS DO FATO FOLCLÓRICO

LONGEVIDADE = tem historicidade

ORALIDADE = saber é passado pela oralidade e prática
TRADIÇÃO = não se sabe quando surgiu ou tem mais de 20 anos (questão
polêmica!)
DINAMICIDADE = muda de acordo com a cultura, de forma lenta
FUNCIONALIDADE = tem uma razão de ser
ACEITAÇÃO COLETIVA = todos na comunidade aceitam
ANONIMATO = não existe um criador dos passos ou da música (domínio público)


ORIGEM DA PALAVRA FOLCLORE

O termo folclore (folklore) é um neologismo que foi criado em 1846 pelo arqueólogo Ambrose Merton - pseudônimo de William John Thoms - e usado em uma carta endereçada à revista The Athenaeum, de Londres, onde os vocábulos da língua inglesa folk e lore (povo e saber) foram unidos, passando a ter o significado de saber tradicional de um povo.


RELAÇÃO FOLCLORE/CULTURA POPULAR

Se existe uma cultura erudita, de uma elite que sabe ler, escrever, então o folclore surgiu no meio da cultura popular, de um povo que sabe pelo que vê, ouve, pratica e inventa. Folclore estar relacionado a cultura popular na sua origem.


RELAÇÃO DIVERTIMENTO/RELIGIÃO
Festa é celebração da vida. Dançar e cantar está relacionado ao divertime
nto e/ou religiosidade


CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA

FOLCLORE DO CICLO JUNINO: se apresenta de acordo com a tradição de janeiro (6 – festa de Reis) a julho (2 – Dia de Santa Isabel, quarta santidade do período junino celebrada pelo folclore sancristovense).
FOLCLORE DO CICLO NATALINO: se apresenta de acordo com a tradição de ju
lho a janeiro.


ESPETACULARIZAÇÃO

Tradição por si não dá alimento. Preservar a tradição é, antes de tudo, preservar a vida. Dinamicidade é uma característica do folclore, por isso é preciso vender o espetáculo, se apresentar em qualquer mês do ano, cobrar cachê! Lamentavelmente, por questão de estética ou tempo o fato folclórico perde o sentido original. Jorge do Estandarte lembra que somente as jornadas mais animadas são apresentada nos festivais.


FOLCLORE E PARAFOLCLORE

O que define o folclore é a tradição. Já a invenção de grupo para fazer espetác
ulo define o parafolclore.


PESQUISADORES DO FOLCLORE BRASILEIRO

MARIO DE ANDRADE (1893-1945)
Catalogou cantos populares

MONTEIRO LOBATO (1882-1948)
Divulgou mitos e lendas brasileiras. Saber mais:
http://thiagofragata.blogspot.com/2007/11/entrevista-nos-90-anos-do-saci.html

CAMARA CASCUDO (1898 – 1986)
Considerado o Pai do Folclore brasileiro
Esteve em Sergipe em 1951, ocasião em que conheceu o folclore de São Cristóvão


EXPRESSÕES FOLCLÓRICAS DE SÃO CRISTÓVÃO


SAMBA DE COCO

O Samba de Coco é uma antiga manifestação folclórica de São Cristóvão. Atualmente, três sambas animam a capital da cultura. Com uma alegria contagiante e rica indumentária, homens mulheres e crianças encenam evoluções das brincadeiras de roda e do ágil samba no pé.

É uma herança africana. Ao som dos instrumentos de percussão e da cuíca os brincantes cantam pérolas do cancioneiro popular e executam harmoniosos movimentos de giro e samba no pé.

A alegria é um componente presente nas roupas, na dança e na música contagiante do Samba de Coco.


BATALHÃO DE SÃO JOÃO

Festejar os santos juninos (São João, Santo Antônio, São Pedro e Santa Isabel) é o fito do Batalhão.

A percussão ritma brincantes e frentista, a semelhança das batucadas, no embalo de cânticos nordestinos.

Estandarte e elementos juninos adornam a indumentária que brilha em movimentos de passada e giro. A Rainha do Milho é uma figura de destaque no Batalhão de São João.


BACAMARTEIROS

Bacamarteiros de São Cristóvão era o mais antigo e representativo do Estado de Sergipe, até a morte do mestre Raimundo em 2008.

Trajando fardamento azul o batalhão impõe marcha célere e ritmada garantida pelo bumbo, caixa, ganzá e cuíca. A expressão tematiza dois momentos da História do Brasil. A vitória do Exército republicano na Guerra do Paraguai e a caçada aos cangaceiros de Lampião. Chapéu tipo cangaceiro, carturcheiras e bacamartes cruzam com o azul militar, elemento do Exército republicano na época da Guerra do Paraguai (1870-1875).

O tiro de bacamarte desferido contra o chão ou para o céu, assim como os rodopios, festejavam a vitória.


CACETEIRA

Manifestação folclórica tradicional no período junino de São Cristóvão, a quarta cidade mais antiga do Brasil. Entoando cantigas do cancioneiro popular sergipano, homens e mulheres compõem o cortejo animado por zabumbas, ganzá e cuíca.

O nome Caceteira lembra o processo artesanal de sova do couro dos instrumentos de percussão e o próprio batuque “a base de cacetes”.

As Caceteiras mais antigas de São Cristóvão datam da primeira metade do século XX. A Caceteira da Dona Biu e a Caceteira de João de Cota, ambas desaparecidas com o falecimento dos seus mestres, ainda resistem na memória coletiva da cidade.

Atualmente, a única manifestação folclórica desse gênero é a Caceteira do Rindú, apelido do seu coordenador, o Sr. José Gonçalo dos Santos.

Só existe Caceteiras em São Cristóvão.


LANGA

A Dança do Langa é uma manifestação do ciclo junino. Existe no povoado Tinharé, de São Cristóvão.

Não se sabe o porquê do nome langa.

A Dança do Langa louva São João através de seus cânticos, versos e evoluções ritmadas.

Ao som de cavaquinho, violão e triângulo, as 8 brincantes emparelhadas bailam em 2 colunas, sob o comando de 1 marcador.

De vestido branco e empunhando lenços e pandeirinhos o grupo louva, canta, faz paralelos e volteios.

Em seguida, as brincantes manejam os lenços em duas harmoniosas evoluções: a primeira em xis (x), a segunda em túnel.

Depois de todas as jornadas acontece a chula, um frenético requebrado com que as brincantes se despedem de todos.


REISADOS

Folguedo que homenageia a Festa de Reis, dia 6 de janeiro. Sua religiosidade e versos reverenciam o menino Jesus, Maria e José. Suas fitas causam grande efeito visual e seus espelhos funcionam como amuletos. Basicamente, azul e vermelho são as cores do Reisado.

Fole, zabumba e triângulo harmonizam cordões e alas ao som da melodia simples e repetida, versejada pelo Mateus, o caboclo, e repetida pelos brincantes.

O Reisado é uma marca de Sergipe, encontrado na maioria dos municípios. São Cristóvão tem 5 manifestações folclóricas desse tipo: Reisado de Satú, Reisado de Jorge, o Reisado das Pedreiras, Reisado do Tinharé e Reisado da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.


TAIEIRAS

Tem ainda as Taieiras, que segundo o mestre Jorge do Estandarte, são herança das escravas fôrras e pastoras. Essa manifestação está relacionada aos festejos a São Benedito, de Nossa Senhora do Rosário, de Reis. No Anuário Christovense [1915], de Serafim Sant’Iago, ele rememora a festa da coroação da rainha das Taieiras na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.


PERSONAGENS E JORNADAS VARIAM DE ACORDO COM O LUGAR

Mateus
Dona Pastora ou Dona Deusa
boi, jaraguá outros animais
figurantes


JORNADAS DO FOLCLORE

1 - Formação de cordões ou alas,
2 - Cortejo,
3 - Pedição de sala,
4 - Louvação à Maria e Jesus,
5 - Louvação às autoridades e pessoas queridas,
6 - Despedidas, etc

Jorge do Estandarte, mestre do grupo União, afirma que o reisado tem quase 25 partes. Em razão do pouco tempo destinado a apresentação há uma tendência em apresentar as jornadas mais animadas, dançantes.


*Professor, historiador, coordenador da Comissão Pró-candidatura da Praça São Francisco a Patrimônio da Humanidade. E-mail: thiagofragata@gmail.com
** Pedagoga, diretora da Casa do Folclore Zeca de Noberto. E-mail:quegloria@yahoo.com.br






sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Praça São Francisco terá iluminação especial


Na última quinta, 13/08, a sociedade sancristovense tomou conhecimento do projeto luminotécnico que irá ser implementado na praça São Francisco, candidata ao título de Patrimônio da Humanidade. Numa palestra proferida pela arquiteta Tatiana Costa, do Programa Monumenta, e coordenada pelo professor Luis Alberto, Diretor da Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural, foram apresentadas simulações dos resultados esperados com a intervenção. A instalação da fiação elétrica e telefônica subterrânea reconstituirá o cenário colonial, valorizando o conjunto arquitetônico da quarta cidade mais antiga do Brasil.


O professor Luis Alberto informou a urgência da construção de um plano de ação envolvendo a Comissão Pró-candidatura, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Governo do Estado e Prefeitura Municipal de São Cristóvão a fim de cumprir os prazos da UNESCO e conquistar em junho do próximo ano, na reunião de Brasília, o almejado título internacional para Sergipe.

Oficina vai ensinar educadores a dançar folclore



A Secretaria Municipal de Educação, Comissão Pró-candidatura da Praça São Francisco a Patrimônio da Humanidade e Secretaria Municipal de Cultura ofertarão aos professores a Oficina Pedagógica "Folclore: saber, cantar e dançar", entre os dias 20 e 22 de agosto do ano corrente, no Convento São Francisco. As aulas serão ministradas por Maria Gloria Santos, pedagoga e coordenadora da Casa do Folclore Zeca de Noberto, e Jorge do Estandarte, mestre do grupo União.

Os dois oficineiros tematizarão os conceitos elementares do folclore, as cantigas e passos do samba de coco, reisado, taieiras, etc, de forma que teoria e prática possam capacitar os participantes enriquecendo a didática e fomentando o surgimento de grupos mirins. Os professores receberão ainda tópicos de como produzir indumentária com material reciclado.

A Oficina Pedagógica “Folclore: saber, cantar e dançar” constitui o IV módulo do projeto "São Cristóvão: conhecendo Nossa História" coordenado pelo professor Thiago Fragata. Inscrições até o dia 19/08, na Secretaria Municipal de Educação, das 8 às 13 h. Vagas limitadas!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Festa do Estudante foi um sucesso!

Carlos Dennisson, aluno do Colégio São Cristóvão, ganhou um computador e recebeu os cumprimentos de Thiago Fragata


A Festa do Estudante organizada no último dia 11 de agosto, terça-feira, pela União Municipal dos Estudantes de São Cristóvão (UMESC) e Comissão Pró-candidatura foi um sucesso. A proposta da Caminhada Estudantil São Cristóvão Patrimônio da Humanidade mobilizou estudantes das escolas estaduais Gaspar Lourenço, Elísio Carmelo, Paulo Sarazate; e escolas municipais Araceles Rodrigues e São Cristóvão. Centenas de estudantes marcharam pelas ruas do centro histórico entoando “cidade Patrimônio Nacional, Queremos São Cristóvão Patrimônio Mundial”. O evento teve ainda a benção do padre Wagner, sorteio de prêmios (MP3, pen-driver, relógio e computador) e show de Ézio Sant’s. O Estudante Carlos Dennison Leite de Oliveira, do Colégio Municipal São Cristóvão, ganhou o computador.


Para Adevanilson Castor, União Municipal dos Estudantes de São Cristóvão (UMESC), “a mobilização da sociedade sancristovense é muito importante para o sucesso da eleição da UNESCO, que ocorrerá em junho do próximo, em Brasília”. A imprensa marcou presença na Festa do Estudante, através das equipes da TV Alese, TV Sergipe, TV Atalaia e Infonet.


Em tempo, registramos os parceiros que tornaram possível o evento: União Municipal dos Estudantes de São Cristóvão, Governo do Estado, Prefeitura Municipal de São Cristóvão, Câmara Municipal de Vereadores de São Cristóvão, Oxogum Ladê, ong SAHUDE, Paróquia Nossa Senhora da Vitória, Deputado Estadual Professor Wanderlê, Deputado Federal Professor Iran Barbosa, Deputada Estadual Professora Ana Lúcia, vereadores Chagas e Carlos Umbaubá.

Expectativa do público durante os sorteios

Ézio Sant's soltou a voz na praça São Francisco