domingo, 19 de maio de 2013

GINCANA ARMANDZILA

A charge é uma arte e pode ser um eficiente leitura da realidade social. Um grupo de artistas fizeram versões acerca de uma cidade fictícia (Sãocricas) aterrorizada por um temível monstro de duas cabeças (Armandzila) e mãos de tesouras, que cortam salários e conquistas dos trabalhadores. A partir deste mote concebido por Thiago Fragata - que também fez o seu desenho para a Gincana Armandzila! - chegaram propostas de Gladston Barroso, Paulo Henrique e Clécio Barroso. As situações apresentadas são fictícias e qualquer semelhança com a realidade de qualquer cidade brasileira é mera coincidência. 

Confira os finalistas:


ARMANDZILA 1 - Charge de Paulo Henrique





ARMANDZILA 2 - Charge de Gladston Barroso



ARMANDZILA 3 - Charge de Thiago Fragata



ARMANDZILA 4 - Charge de Clécio Barroso

domingo, 12 de maio de 2013

Manutenção do Título da Praça São Francisco é discutida no FORTUR

Divulgação
A Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e a Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur) estiveram reunidas com os órgãos gestores do turismo no estado para a reunião da comissão de trabalho de planejamento e gestão do Fórum Estadual de Turismo de Sergipe (Fortur/SE). Na ocasião, foram discutidas as questões referentes à manutenção do título de Patrimônio da Humanidade da Praça São Francisco na cidade de São Cristóvão, bem como o desenvolvimento do turismo religioso.
Os envolvidos no Fortur/Se debateram para definir a condução do tema apresentado e discutir ainda o desenvolvimento do segmento do turismo religioso em São Cristóvão. O secretário de Estado do Turismo, Elber Batalha, ressaltou a importância da promoção do destino para consolidá-lo no segmento de turismo religioso. "Nossa idéia é produzir materiais de divulgação com qualidade para promover o destino e o enfoque é fazer um material que tenha o viés turístico para divulgá-lo, indicando também sua localização", declarou. 

A superintendente do IPHAN, Terezinha Oliva, disse ser fundamental inserir materiais divulgativos e interpretativos da Praça São Francisco e ampliar as pesquisas acerca da praça e dos bens que fazem parte dela. "Nós precisamos de materiais interpretativos e de divulgação da praça, pois quando a Unesco faz o monitoramento, chamado de Informe Periódico, pergunta se existe isso. Temos a necessidade também de que sejam ampliadas as pesquisas acerca da Praça e dos bens que fazem parte dela", falou. 

Thiago Fragata, diretor do Museu Histórico de Sergipe, localizado em São Cristovão, destacou a importância da manutenção do título de Patrimônio da Humanidade da Praça São Francisco. "É muito importante manter o título de Patrimônio da Humanidade, percebemos que é preciso encará-lo de uma forma mais pragmática e que deve haver o gerenciamento dessa chancela conferida pela Unesco, onde Sergipe ganha bônus vinculados a ela. Estamos em debate e isso é animador, pois gera bons frutos para Sergipe."

"Nos saímos com novos encaminhamentos, pois nesta reunião tivemos a representação dos entes que trabalham na área em São Cristóvão, e lá os monumentos possuem uma grande importância histórica e religiosa, sendo que o Museu de Arte Sacra possui peças únicas no Brasil, então saímos com alguns encaminhamentos discutidos e já que temos uma nova administração, é fundamental que ela incorpore essas questões colocadas hoje", comentou Luiz Alberto Santos, subsecretário de Patrimônio Histórico e Cultural (SUBPAC).

FONTE: Jornal da Cidade, 8/5/2013

quinta-feira, 2 de maio de 2013

SAHUDE NA ESCOLA REALIZOU RODA DE LEITURA

Thiago Fragata brincou de leitura e advinhação
No dia Mundial da Terra (22 de abril), integrantes da Sociedade para o Avanço Humano e Desenvolvimento Ecosófico lançaram na Escola do Lar Imaculada Conceição (ELIC) o projeto SAHUDE NA ESCOLA através de uma roda de leitura. A data comemorativa que coincide com dia e mês da "descoberta do Brasil" surgiu nos Estados Unidos na década de 70, quando o senador Gaylord Nelson organizou o primeiro protesto nacional contra a poluição. Mas foi só a partir da década de 90 que a data se internacionalizou, ou seja, outros países também passaram a celebrar. 

Contação de estórias, músicas, leitura de poesias e trechos da carta do Cacique Seatlle (1854) animaram os alunos da unidade escolar que funciona no centro histórico de São Cristóvão.

Confira imagens: 

Thiago Fragata fez leitura do Cordel dos Bichos!

Viviane Lima, Presidente da ong SAHUDE, leu a Cartilha dos Crimes Ambientais!

Sérgio Lima e Flavinha Santana coordenaram a Dança da Terra

Todos participaram da Dança da Terra!

Crianças participaram da Dança da Terra

Thiago Fragata brincou de leitura e advinhação

Ensaio do teatrinho dos animais!

Alunos-atores do teatrinho dos animais!

Roda de leitura envolveu 4 turmas, cerca de 70 alunos

Equipe SAHUDE NA ESCOLA e Sandra, Coordenadora do ELIC