quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Praça São Francisco: símbolo de nossa história, riqueza patrimonial*

Ronaldo Brasil dos Santos**

Tesouro que guarda honrosa parcela da história de Sergipe e que completa a harmonia de um conjunto arquitetônico representativo de nossas origens. A denominação de uma simples praça não diminui sua importância, sendo um legado patrimonial, inquieto, pede agora reconhecimento mundial.

Assim é a Praça São Francisco, um berço das ações coloniais luso-espanholas num período histórico de conflitos, invasões e interferências de diversas nações européias no Brasil no início do século XVII. A região onde hoje é denominada de Centro Histórico passou a ser habitada pelas elites eclesiásticas e administrativas da colônia. Até então São Cristóvão era a sede da capitania de Sergipe.

Não só São Cristóvão, mas o mundo passava por transformações marcantes. Os reflexos da reforma e contra-reforma no mundo cristão configuravam o cenário arquitetônico com traços barrocos nos detalhes de colunas, altares e adornos das igrejas.

No centro de tantas construções coloniais está a Praça São Francisco, que também encanta olhares de todos os gostos e convida ao resgate de nossos primórdios e que ao longo do tempo vem sendo palco das manifestações culturais que mantém viva a história mútua e valoriza o período das miscigenações de raças e culturas como: modos de vida, língua e costumes europeus, sobretudo portugueses, que marcam as concepções mnemônicas e revestem de beleza simbólica o cotidiano de seu povo.

Fator primordial para que a praça seja reconhecida Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2010 é primeiro o apoio de seu povo, que já a consideram como sendo sua herança e querem que seu folclore e costumes culturais como as famosas festas religiosas, ganhem merecida repercussão. É através dessa digna relevância que gerações acompanham e estudam os preciosos rastros de sua história partindo de uma peculiaridade hoje reverenciada: Praça São Francisco.

* Publicado no JORNAL DO DIA. Aracaju, ano IV, n. 1473, 10/12/2009, p. 4.
** Graduando em História da Universidade Federal de Sergipe (Projeto A Praça São Francisco é do Povo - DHI (UFS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.