sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Irmã Dulce e o Turismo

Irmã Dulce (destaque) no Convento do Carmo de São Cristóvão, 1934
Acervo Obras Sociais Irmã Dulce


A notícia da beatificação da Irmã Dulce, o anjo bom da Bahia, causou frisson na imprensa sergipana. Parece que uma coisa não tem nada a haver com a outra. Vejamos: Apesar de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes ter nascido em Salvador, ela fez noviciado na Escola da Irmãs da Imaculada Conceiçao, em 1933/1934, nessa época instalada no Convento de Nossa Senhora do Carmo, em São Cristóvão/SE. Na igreja principal do citado convento ela foi batizada Irmã Dulce, não por caso as Obras Sociais Irmã Dulce, sediada em Salvador, anuncia que o roteiro Irmã Dulce no Brasil começa em Sergipe.

São Cristóvão que recebeu da UNESCO, no dia 1 de agosto, a chancela de Patrimônio da Humanidade por conta do valor histórico da Praça São Francisco, agora se anima para nova expectativa: o reconhecimento pelo Vaticano da Santa Irmã Dulce. Essa confirmação, creio, criará um novo fluxo de turistas, os devotos de Irmã Dulce. Bem, é mais um motivo para que São Cristóvão se prepare para a alta estação, para o turismo.

SABER MAIS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.