quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

CRONOLOGIA DA CANDIDATURA DA PRAÇA SÃO FRANCISCO DE SÃO CRISTÓVÃO NA LISTA DO PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

2005 - Governador João Alves Filho em viagem a Europa busca informações na sede da Unesco, em Paris, na França, sobre os critérios exigidos para inscrição de São Cristóvão como Patrimônio Universal da Humanidade. No seu retorno, Governador agenda reunião com a superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Sergipe (IPHAN/SE) e formaliza solicitação para que este junto a Secretaria de Infra-Estrutura (SEINFRA) pudesse traçar um plano de ações visando candidatura de São Cristóvão.

2006 - Marco Antônio Faria Galvão, arquiteto que coordenou a candidatura do centro histórico de Goiás reconhecido Patrimônio da Humanidade em 2003, foi contratado pelo Governo do Estado para coordenar equipe de estudos visando elaboração da propositura sergipana.

5/3/2007 – Diretor do Centro do Patrimônio Mundial, Francesco Bandarin, informa que a propositura da Praça São Francisco de São Cristóvão foi aceita na sede da UNESCO, em Paris, por atender os critérios técnicos exigidos pelo Conselho Internacional de Monumentos e Sítios no Brasil (ICOMOS).

8/7/2007 – Governador Marcelo Deda compromete-se a cumprir todas as etapas da candidatura perante a representante da UNESCO, Dora Aríza Gusmán, e o Vice-presidente do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios no Brasil (ICOMOS), Eugênio de Ávila Lins, que juntos visitaram a Praça São Francisco e prestigiaram manifestações culturais de São Cristóvão. A comissão internacional reuniu-se com diversas instituições para debater a candidatura, a exemplo da Secretaria de Estado da Infra-estrutura, de Cultura, de Turismo; da Prefeitura Municipal de São Cristóvão, do Tribunal de Justiça; do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, do Instituto Histórico, Geográfico de Sergipe; Universidade Federal de Sergipe e comunidade sancristovense.

09/2007 - Representante do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios no Brasil apresentou parecer técnico na sede da UNESCO, em Paris, aonde sugeriu elaboração de anexo para completar a propositura. Esse anexo deveria tratar não apenas da Praça São Francisco de São Cristóvão mais destacasse suas particularidades num quadro comparativo com outras praças existentes na América Latina. Parecer técnica enfatizou também a implantação de um plano diretor na cidade histórica como pendência para legitimidade da candidatura.

13/02/2008 – Marco Antônio de Faria Galvão expõe o anexo III aos representantes do Governo do Estado de Sergipe, IPHAN-SE, Prefeitura Municipal de São Cristóvão, Monumenta e comunidade em geral. Dois dias depois protocola na sede do IPHAN, em Brasília, o anexo que deverá completar a propositura a ser julgada finalmente em junho pela comissão da UNESCO.

15/02/2008 – Formada Comissão Pró-candidatura da Praça São Francisco de São Cristóvão Patrimônio da Humanidade que objetiva divulgar e mobilizar forças políticas e o povo sergipano em prol da candidatura da cidade sergipana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.