quinta-feira, 1 de julho de 2010

Para Conhecer a SUBPAC

Convento São Francisco. Obra de Everlane Moraes, 2010


Por Maíra Ielena*


A Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural (SUBPAC) foi fundada em 2009, através de Lei do Poder Executivo do Estado de Sergipe. Ligada de forma estratégica à Secretaria de Estado da Casa Civil, este novo órgão tem como objetivos resguardar e divulgar o patrimônio histórico e cultural de nosso povo, de modo a fortalecer nossa identidade a preservar nossas tradições e cultura.



Sob comando do professor Luiz Alberto dos Santos, estudioso com larga experiência em assuntos relativos à cultura e folclore de nosso povo, a SUBPAC entende que uma de suas funções consiste na elaboração e fomento de um consistente projeto de educação patrimonial, que englobe, num primeiro momento, as cidades de São Cristóvão, Laranjeiras e Aracaju.



Entretanto, em face da campanha “São Cristóvão: Berço de Sergipe/Praça São Francisco: Patrimônio da Humanidade”, que pretende alçar nossa antiga capital a Patrimônio Mundial, a SUBPAC instalou um Escritório na cidade a fim de realizar trabalhos de campo junto à comunidade, mobilizando-a com vistas à obtenção desta honrosa chancela conferida pela UNESCO.



Desde a sua formação, em setembro de 2009, a equipe se faz atuante no município. Destacamos as ações que realizamos nos desfiles cívicos da Sede de São Cristóvão e dos conjuntos Rosa Elze e Eduardo Gomes, a panfletagem ocorrida na feira da Cidade Baixa, bem como a Mesa Redonda que tinha como público alvo os professores atuantes na cidade. Foram ações de impacto que marcaram o início das ações de um órgão que veio para efetivamente trabalhar.



A partir de outubro de 2009, a Equipe do Escritório de São Cristóvão da SUBPAC se instalou de forma definitiva na cidade de São Cristóvão, no andar térreo do prédio do restaurante O Sobrado. Participamos, desde então, de uma série de eventos envolvendo a comunidade e espaços locais. Transitamos entre feiras livres, colônia de pescadores, escolas, grupos de idosos, apresentações culturais, estabelecimento comerciais, povoados, templos religiosos, enfim, levando esta campanha a um público cada vez maior.



Visitamos as unidades de ensino do Centro Histórico – e até mesmo algumas mais distantes – a fim de conversar com os professores e equipe diretiva das escolas públicas e privadas acerca da campanha “Patrimônio da Humanidade”. Falamos sobre patrimônio histórico e cultural, o papel dos governos municipal, estadual, federal e da própria comunidade na preservação destes bens, além de fornecer suporte a projetos desenvolvidos pelas unidades de ensino.



Realizamos as celebrações alusivas ao Dia da Sergipanidade em parceria com a Prefeitura de São Cristóvão. O evento, realizado dia 24 de outubro, contou com a apresentação de grupos folclóricos e artistas locais. Paralelo às mensagens de educação patrimonial, participamos das ações propostas pelo Movimento 350, que pedem uma redução das emissões de gases poluentes na atmosfera. Como forma de carinho pela cidade e apoio à campanha “São Cristóvão: Berço de Sergipe, Patrimônio da Humanidade”, os presentes deram um carinhoso abraço na Praça São Francisco. Um momento para ficar marcado na memória de todos que amam e preservam a identidade sergipana!



Fazemos-nos presente em eventos desenvolvidos por nossos parceiros – IPHAN, Prefeitura de São Cristóvão, SEED/DRE-08, Comissão Pró-Candidatura, UFS... - , tais como o III Encontro de Educação Patrimonial do TV Escola, comemorações alusivas à Semana da Semana da Consciência Negra e do Folclore, apresentações do Comitê A Praça é do Povo, Carnaval, Festa de Nosso Senhor dos Passos, sempre com o firme objetivo de contagiar mais e mais pessoas.



A parceria, aliás, mostrou-se uma estratégia de sucesso. Promovemos, em parceria com o SERGAS, o projeto Música na Igreja, através do qual o grupo Renantique (executor de músicas renascentistas e medievais) se apresentou nas igrejas de Nosso Senhor do Passos, de Nossa Senhora do Carmo e de São Francisco. Contando com as parcerias da Comissão Pró-Candidatura, do Museu Histórico de Sergipe/SECULT e também do IPHAN, pudemos desenvolver os projetos Visitas Guiadas, no qual conduzimos alunos de escolas do Centro Histórico a um passeio pela Praça São Francisco e seus monumentos, e Noite de Histórias, que abriu o MHSE à noite para alunos do EJA terem acesso a palestras e visitas pela instituição cinqüentenária.



Apesar de tantas ações destacadas, cremos que uma das mais importantes se verificou em novembro de 2009. No início deste mês, a SUBPAC realizou a Reabertura dos Sítios do Circuito do Centro Histórico em horário unificado, a saber: Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos; Igreja e Convento de São Francisco; Museu de Arte Sacra; Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo; Igreja Nossa Senhora do Amparo dos Homens Pardos. Esta foi uma importante vitória, que, devidamente anunciada na mídia estadual, conduziu milhares de pessoas à nossa antiga capital. Desde esta iniciativa, nos horários compreendidos entre as 10 e 16 horas, de terça a domingo, sergipanos e turistas já podem conhecer um valoroso patrimônio edificado que, até então, encontrava-se indisponível a olhos visitantes por falta de pessoal de apoio.



Não só pensar, mas também agir. É desta forma que hoje a SUBPAC atua no que diz respeito ao nosso patrimônio. Entendemos a necessidade de pesquisas e trabalhos de campo, bem como de amplos projetos que permeiem um tempo de longa duração; mas destacamos, sempre, a necessidade de trabalhos emergenciais que tenham como objetivo o resgate de nossos valores culturais.



Mais do que trabalhar com prédios e imagens, mais do que lidar com folclore e cultura como objetos estanques, trabalhamos com o povo e o que ele tem de mais intrínseco, tão arraigado à sua formação que ele mal percebe: sua identidade. Tendo em vista estes ideais, atuamos em São Cristóvão de forma a mobilizar a comunidade e resgatar a auto-estima de um povo tão rico de cultura e tradição; mas tão carente de percepção do seu próprio valor.



Resultado disso tudo? Paixão. Nos apaixonamos pela cidade, pelos personagens que transitam entre suas ruas, por cada dedo indignado em riste, pelas queijadas e beijus que sobem e descem ladeiras, pelos mestres de folclore que nos visitam, pela vista da cidade que tem como fundo o Rio Paramopama, pelas estridentes cobranças que nos são feitas... Porque toda e qualquer paixão acarreta bônus - e ônus.



Hoje, temos muito mais do que um emprego: temos um trabalho. E este trabalho, tão permeados por glórias e martírios, conseguimos transformar em uma bela e emocionante causa, que tentamos invariavelmente fazer com que todos abracem, nutram, acalentem. Por que São Cristóvão é, sim, berço de Sergipe. E está em nossas mãos (mãos de todos, friso) alçá-la a Patrimônio da Humanidade.


Como ajudar? Acesse o Hotsite da Praça São Francisco www.pracasaofrancisco.se.gov.br e clique na seção APOIO. Lá você encontrará nosso abaixo-assinado eletrônico, no qual basta apenas cadastrar seu nome e e-mail e clicar em assinar. Pronto! Você já estará fazendo parte deste movimento que vai mudar a história de Sergipe!


FONTE: Jornal da Cidade. Aracaju, 20/06/2010, p. B6.

*Graduada em História/Licenciatura e Coordenadora do Escritório de São Cristóvão da SUBPAC/SECC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.