terça-feira, 2 de agosto de 2011

OFICINA CONHECENDO E FAZENDO PÍFANOS


Secretaria de Estado da Cultura promete um mês de folclore de muitas atividades. Dentre as ações do Projeto “Agosto para Todos” acontecerá no Museu Histórico de Sergipe, em São Cristóvão, a oficina “Conhecendo e fazendo pífanos”, com o professor Edmar Santos. Turma única pela manhã, do dia 15 ao 19/8/2011, vagas limitadas (20). Inscrições no Museu Histórico de Sergipe. Informações: 3261-1435

O que é pífano?

Flauta transversal de bambu ou taboca. Supõem-se que pela simplicidade do pífano, ele tenha surgido em diferentes partes do planeta a alguns séculos atrás. Há ocorrências pela Europa, África e até mesmo entre os índios do Brasil. É possível que a palavra pífano venha do alemão: “piffer” que quer dizer “assobio”.

No Brasil ele geralmente se toca em par, acompanhados de zabumba, caixa, prato, bumbo, ganzá, formando as “Bandas de Pife” ou “Cabaçais”. Ocorrem principalmente no Nordeste (Paraíba, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). Quem toca pife é chamado de “pifistas” ou “pifeiros”.

São de vários tamanhos, resultando várias afinações. Os mais usados são afinados em Lá ou em Sol e geralmente possuem seis furos, além do furo do bocal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.