terça-feira, 15 de março de 2011

CURIOSIDADES VI

João Bebe-Água como guerreiro de espada para defender uma causa, na imaginação de Raí Ramos.

JOÃO BEBE-ÁGUA ERA MESMO ALCOÓLATRA?

SEBRÃO SOBRINHO diz que o apelido de João Bebe-Água era porque ele era abstêmio, fato que se gabava, orgulhava o beato da Igreja de Nossa Senhora dos Homens Pardos. Na irmandade religiosa dessa igreja, ele ocupou quase todas as funções: foi sineiro, procurador, etc (2005, p. 163)


Igreja do Amparo dos Homens Pardos. Foto: Graziella Santos

MARINETE PAIVA (1913/2004) dizia que seu pai, Pio Monteiro, era dono de quitanda e reclamava muito do seu cliente João Bebe-Água. Pois ele gostava de tomar cachaça e cuspir no chão repetidas vezes!

É mesmo possível que ele tenha frequentado quitandas para tomar cachaça, especialmente, no período que sucedeu a Mudança da Capital, onde experimentou a falência, a viuvez, a tristeza. Também não é improvável que tenha comercializado água e daí originado o apelido pela sua condição de aguadeiro (vendedor de água).

João Bebe-Água era vereador em 1862, ano em que o antigo Palácio Provincial era Camara de Vereadores.

O homem que desempenhou papel de vereador e Juiz Paz em São Cristóvão terá sido um louco? Conclusão: precisamos fazer uma revisão sobre a Mudança da Capital e especialmente sobre João Bebe-Água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.