terça-feira, 15 de março de 2011

Mudar para onde a Capital? III

Relatório que Inácio Joaquim Barbosa enviou a Assembléia Legislativa propondo a Mudança da Capital, de 1/3/1855.
Acervo do MHS

Era preciso encontrar o lugar de significativo movimento de embarcações, que representasse a pujança da economia da cana, que pudesse garantir a implantação do sistema de embarcação a vapor


Movimentos de saída de navios – toneladas

(julho de 1850 a junho de 1853)

Barra da Cotinguiba – 716 navios – 84.983

Barra do Rio Real – 206 navios – 18.204

Barra do Vasa Barris – 81 navios – 8.653



Laranjeiras ou Maruim, Estância, Socorro ou Barra dos Coqueiros?

Destoando das tentativas frustradas, Inácio Joaquim Barbosa argumentou na Assembléia Legislativa no seu discurso de 1 de março de 1855:

O porto deveria, pois, ficar bem próximo do oceano e só na Barra da Cotinguiba seria possível a sua localização. Para mim, é incontestável que a capital deve ser do lado em que está situado o povoado de Aracaju”.

Em resumo, fatores econômicos e geográficos determinaram a Mudança da Capital.

Mas não podemos esquecer da conjuntura nacional: Era Mauá e determinação do mercado.



DICA DE LEITURA:

a) Cópia do Relatório de Inácio Joaquim Barbosa, de 1/3/1855. Disponível no Auditório do MHS;

b) Coleção Inácio Joaquim Barbosa, do Padre Aurélio Vasconcelos. Disponível no Auditório do Museu Histórico de Sergipe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa matéria.